<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=378294832364035&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Blog

Os benefícios da utilização de coletores de dados

Por Fabricio Santos em 25 de Outubro de 2016

Coletores de dados

É impossível pensar numa empresa, de qualquer segmento, sem uma gestão de estoque eficiente. Já imaginou uma padaria em que falta pão no dia mais movimentado da semana? Ou uma escola em que falta papel para imprimir as provas? Ou na hora do padeiro fazer o pão descobre que a farinha entregue está errada? Agora, imagine uma empresa que atue, justamente, na distribuição desses materiais.
Como garantir que não vai faltar pão na padaria, ou papel para imprimir a prova? Para aqueles que têm na logística o seu negócio, é inimaginável pensar em operação sem uma gestão extremamente ágil e eficaz. No post de hoje, vamos entender os motivos que transformaram os coletores de dados em algo indispensável no controle de estoque moderno.

Mas afinal, como se controlava estoque antigamente?

Nos primórdios dos grandes atacadistas, era muito comum encontrar papel carbono e intermináveis formulários, numa tentativa um tanto arcaica de gerenciar entradas e saídas, origens e destinos das mercadorias. No final da década de 1980 e ao longo da década de 1990, surgiram os leitores de código de barras e as etiquetadoras de preço, diminuindo o volume de trabalho manual. Reduziu-se a necessidade de mão de obra, permitindo que um mesmo funcionário atendesse a um número maior de setores. Aumento na produtividade, redução de custo e resultado mais rápido.

Mas a evolução do controle de estoque se popularizou a partir dos anos 2000: um dispositivo manual, pequeno, e capaz de se integrar aos softwares de gestão para distribuição: estamos falando dos coletores de dados. Um bom exemplo dessa revolução ocorre com muitas empresas distribuidoras de água e energia no Brasil, que já adotam modelos com impressora embutida, permitindo que o funcionário que lê o medidor de casa em casa possa gerar o boleto na hora, evitando o custo de tempo e dinheiro de processar e enviar a conta por correio. É ou não é uma revolução?

Não só empresas de água e energia podem fazer um bom uso dos coletores de dados. A seguir elaboramos uma lista com os principais benefícios para revolucionar o seu negócio.

 

#1 Precisão e exatidão na operação e conferência

O coletor de dados é capaz de auditar origem e destino de mercadorias. Nos modelos mais modernos, equipados com a tecnologia de comunicação à distância RFID, é possível visualizar toda a carga que está num caminhão a até 6 metros de distância. Todos os modelos contam com leitor de códigos de barras, eliminando a necessidade de digitar a sequência de números e retrabalho por conta disso. Observe como um equipamento de mão potencializa o trabalho de conferência da carga: apenas 1 funcionário consegue conferir rapidamente todo um caminhão, fazendo o trabalho de 2 ou 3 funcionários ao mesmo tempo.

Antes era necessário duas pessoas, sendo um o "cantador" e o outro o "encontrador". O primeiro falava "creme dental X, com cristais e flúor ativo 24hrs". A segunda pessoa deveria encontrar esse produto no meio de outros 300 diferentes. Além disso, a operação é muito mais segura, eficiente e confiável, pois não houve interferência humana na contagem dos volumes e o carregamento do caminhão pode ser feito de acordo com a rota a ser seguida, otimizando o tempo de descarga.

#2 Controle de pessoas e estoque online

É possível controlar níveis de acesso, resguardando informações estratégicas de quem não precisa acessá-las. Tipo de preço dos produtos, que quando separados pelo espelho da nota, não tem como não mostrar. Ao mesmo tempo, é possível acompanhar em quais atividades os funcionários estão trabalhando em cada setor, permitindo um controle mais efetivo da produtividade, gerando indicadores de desempenho e performance que não seriam possíveis sem os coletores de dados. Se o equipamento estiver conectado ao sistema de gestão da empresa, em tempo real, é possível monitorar o estoque dos produtos contemplando toda a operação de venda: pedidos a serem processados, em processamento e seguindo para entrega.

#3 Assertividade no processo de inventário

É normal em momentos de realização de inventários que seja colocado pessoas que não entendam de produtos para realizar a digitação do inventário. Isso pode causar vários problemas, sendo o mais comum a inversão de produtos. Outro é a demora na produção de inventário. Com a utilização do coletor, a contagem é online e os produtos são validados pelo código de barras, sem a possibilidade de inversão de mercadorias.

#4 Alto nível de serviço 

Um problema muito comum nos Centros de Distribuição é a inversão de produtos similares. Se o cliente comprou uma caixa de esmalte cintilante não vai se contentar com uma caixa de esmalte sem brilho. Além de evitar esse tipo de situação, o coletor de dados tira a necessidade do “cantador”, aquelas pessoas que “cantam” a descrição do produto para tirar dúvidas quanto ao seu uso. Muitos erros surgem de um ruído de comunicação entre o cantador e a equipe, tornando a operação com coletores de dados ainda mais atrativa para os distribuidores. No momento de crise em que vivemos, é na redução de custos que as empresas conseguem melhorar seu resultado. E você, o que está fazendo hoje para melhorar o resultado da sua empresa?

Gostou do post de hoje? Para se manter sempre atualizado cadastre-se para receber nossa newsletter, no canto superior direito do blog. Basta inserir nome, sobrenome e e-mail.

Seus processos logísticos estão estruturados para garantir competitividade? - Baixe e descubra

Categorias: Logística, Distribuição

Fabricio Santos - PC Sistemas
Postado por Fabricio Santos

Gestor de Oferta - Logística Avançada

New Call-to-action
New Call-to-action